SEM ACENTO – DA SÉRIE “POEMAS IMPUBLICÁVEIS”, PUBLICADO EM 2011, NAS EDIÇÕES LIVRES, POR ÁLVARO ROMÃO

 

Sem acento 
Em tanto tempo eu vi
Sem acento
ir
a palavra
a cantos de loucura sóbria
em palavra
em deixo torto o tempo
eu corto seco
eu limo eu temo
em palavras cálidas me escondo
sem acento
durmo
tormento de anil
e caio sem acento
no vaso podre da vida

vou me vender barato
batizado de mucama
de lavado
desregrado
sem alma
sem trauma
sem calma
atara a deusalouca
a meusaboca
a neosaldina
na minha roupa
o tempo passa
o camera vidro
a caça
vidro a maça
ataca
mas não mata
já sei
já lí


Entormento em cantiga

de sempre noite

de puro açoite

de corte e foi-se

e doa-se a quem 
dó 
de tábua fresca 
de carne dura 
podre crua 
boite de flor 
suporese 
embelleze 
anestesésico brilhante da morna flor de açucena 
o Kolene 
o Neutrox 
O Carinho 
O Engov 
O Neutrox 
O Kolene 
Embelleze 
a Natura 
O Botica 
Rio
Continua lindo

O Neutrox nos cabelos
selos de pus sêco 
texto noite fio 
calo bebo rio 
acordo doce 
beijo a morte 
calo a boca 
sobre o termo subo sempre 
caio doente 
Enfermo 
Calafrio cai no fio 
arrepio 
no laço
no bacana da insensidão 
maluca rua da loucura 
efeméride acesa na calada 
intempérie retina prisão 
aducídea escarlina 
escarro tina leite prado 
seta estepe vagão 
noite trilho crepúsculo 
luar vagar 
cerosa 
edílio

pobreza sertão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: