AOS NAMORADOS UM DIA

Sabe aquilo que te ensinaram
sobre o que pode ser o amor?A novidade de ontem não pode ser a de hoje!

[…]

Subindo as ruas da cidade
encontrei-me comigo.
E eu, que estava sozinho,
era um neném a depender dos outros.

Neste único e crucial dia
a proposta encabulada
é reinventar revertidamente
o que pode ser o amor.

Sem práticas, sem palavras,
sem nada ausente,
retornar.
Descobrir por si mesmo
na realidade que temos
onde esconde-se o tormento.

O amor é duro
o amor é planta
o amor é sal e o amor é doce.

Conceitos, ações,
presente ou futuro,
passado ou tradição,
a placa que nos indica
como devemos proceder:
o amor é logo ali,
na loja de biscoitos
na loja de carnes,
na farmácia.

Sente o amor no ar?
Sente-o em talvez em ti?
Mas de que forma criado?
Será um monstro ou um anjo
quem à noite se deita ao teu lado?

Amor é coisa de gente
ou o bicho também sente
que amar é natural?

Terá na terra amor maior
que a água para os peixes?
[…]

A repetição, o que nos causa,
a repetição ininterrupta
desta palavra: Amor?

Teremos nós, os modernos, tempo
para pensar em como produzir amor?

Há no mercado
que seja um pequeno espaço
onde possamos encontrá-lo?

[…]

Pressa, fome, saudade…
são tantos os sinônimos de amor…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: